As comemorações pelos 70 anos da aviação agrícola brasileira tiveram uma agenda especial na capital do País, no final do mês de junho. O Sindag teve voz, no dia 27, na reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) – a mais ativa e mais importante frente do Congresso Nacional, reunindo 238 senadores e deputados federais. E, no dia 28, o sindicato aeroagrícola promoveu um encontro sem precedentes no Brasil entre operadores, pilotos, órgãos de controle fiscalização e entidades do agronegócio, para traçar uma ação conjunta pela clareza e desenvolvimento do setor. Tudo culminando com um jantar pelo aniversário da aviação agrícola, com diversas autoridades, políticos, técnicos e pesquisadores.

Na FAP, o presidente do Sindag, Júlio Kämpf, fez uma apresentação do histórico e da situação atual da aviação agrícola no brasil. Ele ressaltou o potencial e a importância do setor para a agricultura e a proteção do meio ambiente no País. Destacando os principais desafios do setor, principalmente pela falta de informação da sociedade quando ao papel e à segurança da aviação agrícola. Diversos parlamentares se manifestaram reforçando a fala de Kämpf e o presidente da FPA, deputado Nílson Leitão (PSDB/MT) enfatizou, em nome do grupo, o reconhecimento e o apoio da Frente Parlamentar ao Sindag.

WORKSHOP
Já a conversa com representantes dos órgãos de fiscalização e outras entidades do agronegócio foi no Workshop dos 70 Anos da Aviação Agrícola. Essa foi a primeira vez em que representantes de tantas entidades relacionadas ao setor e de tão diferentes frentes de atuação sentaram junto para apresentarem seus pontos de vista, as informações (e, algumas vezes, a falta delas) que tinham sobre o setor e sugerir ações em conjunto para equacionar um esforço pela sustentabilidade ambiental e confiança no setor aeroagrícola.

Participaram representantes do Ibama, Anac, Ministérios da Saúde e da Agricultura, junto com porta-vozes da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), União da Indústria de Cana-de-Açúcar Única), Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e Instituto Riograndense do Arroz (Irga), além do Sindag, Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg) e Sindicato Nacional dos Aeronautas.

O resultado foi um documento com propostas definidas por todos para uma estratégia de atuação conjunta. A Carta de Brasília está sendo distribuída a autoridades nas esferas nacional, estadual e municipal, entidades de pesquisa e parceiros da aviação agrícola, além das entidades que participaram do encontro.

O Workshop da Aviação Agrícola foi patrocinado pela Syngenta e pelo Sindiveg, que promoveram também o jantar pelos 70 anos, na noite do mesmo dia, reunindo participantes do encontro e parlamentares.

Participantes do Workshop discutiram em grupos a elaboração da Carta de Brasília. Fotos de Castor Becker Júnior/Sindag

 

Participantes do workshop apresentaram propostas de estratégia comum para atuação de entidades e governo. Fotos de Castor Becker Júnior/Sindag

 

Júlio Kämpf falou aos parlamentares da Frente da Agropecuária. Fotos de Castor Becker Júnior/Sindag

 

 

Deputados e senadores tiveram uma apresentação sobre aviação agrícola e manifestaram apoio ao setor. Fotos de Castor Becker Júnior/Sindag