A Embraer celebra os 50 anos do primeiro voo do Ipanema, um marco para a produção agrícola brasileira e para a companhia que há décadas contribui com o protagonismo do agronegócio nacional com produtos de alta tecnologia. A aeronave, que atingiu em 2019 a marca de 1.400 unidades comercializadas desde o lançamento em 1970 e ocupa a liderança do segmento agrícola com 60% de participação no mercado, recebe nova pintura e aprimoramentos no seu modelo mais atual, o Ipanema 203, reforçando o compromisso da Embraer com o setor.

“A nova pintura do Ipanema destaca o azul Embraer que traduz os nossos valores de viver pelo desafio, a paixão por voar com excelência e desempenho, vasta experiência no mercado com alta performance e o melhor suporte operacional”, afirma Sany Jaques Onofre, responsável pela área comercial da aviação Agrícola. “Unido ao verde e amarelo de nossa bandeira, reforça a nossa essência que é de servir aos clientes e ao Brasil com comprometimento, entusiasmo e energia únicos de nossa gente. Essa identidade marca uma nova fase da aeronave, que em 2020 completa 50 anos de seu primeiro voo e permanece até hoje o avião agrícola com a maior frota em operação no país, entregando alta produtividade e baixo custo operacional.”

Além da nova identidade visual, neste ano, o Ipanema 203 conta com aprimoramentos como substituição de peças da asa por outras com nova geometria e material (aço inox) mais resistente, postergando ainda mais eventuais desgastes gerados pela condição severa natural da operação do avião no campo e despesas com manutenção ao longo dos anos.  Somado a isso, o Ipanema 203 possui novo design no capô do motor, com novas grades de saída de ar, garantindo maior refrigeração.

A história do Ipanema começa no fim dos anos 1960, quando o Ministério da Agricultura do Brasil firmou contrato com a Embraer para fabricação no país de uma aeronave agrícola, com o objetivo de modernizar o setor ao disponibilizar novas técnicas de produção. O Ipanema nasce desse projeto de engenheiros do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e é testado pela primeira vez na Fazenda Ipanema, no município de Sorocaba (SP). Em julho de 1970 o Ipanema fez seu primeiro voo e em 1972 começou a ser produzido comercialmente. De lá para cá, o avião agrícola da Embraer evoluiu em diversos aspectos e atingiu resultados incríveis.

O Ipanema 203, movido a energia renovável (etanol), é o modelo mais atual e foi certificado em 2015. Este modelo garante mais agilidade, eficiência, produtividade, além do menor custo operacional da categoria. Com sua envergadura aumentada para 13,3 m e perfil da asa aprimorado, possibilita uma maior faixa de deposição de defensivos agrícolas, chegando a 24 metros de faixa com altíssima qualidade comprovada cientificamente e no campo. O Ipanema 203 conta ainda com um reservatório de 1175 litros e cabine mais ergonômica. 

 Nestes 5 anos em operação, há relatos de clientes de que com um único Ipanema 203 foi capaz de aplicar defensivos agrícolas em mais de 130 mil hectares por ano.

 

Utilizado principalmente na pulverização de fertilizantes e defensivos agrícolas, o Ipanema tem evitado, ao longo de todas essas décadas, perdas por amassamento na cultura e flexibilizado as operações em regiões com terrenos irregulares. A aeronave também tem aplicação em atividades de semeadura, controle de vetores e larvas, combate a incêndios e povoação de rios.